Planta Medicinal

links patrocinados

Planta Medicinal

Planta Medicinal

Sobre a Planta Medicinal

Quem nunca viu aqueles livros que prometem saúde de A a Z somente baseados em uma alimentação saudável? Mas é mais do que isso. Eles prometem que cada doença tem um tipo específico de planta que serve para tratar o problema. Estas são as plantas medicinais, que estão na natureza à vontade e que podem melhorar muito a sua saúde.

Primeiro, você deve saber o que é uma planta medicinal. Ela contém substâncias bio-ativas com propiedades terapêuticas, profiláticas ou paliativas. Ou seja, elas melhoram o seu problema, a doença, a sua dor ou o que quer que você tenha.

Mas é bom você saber que, em certa medida, elas são venenosas ou um pouco tóxicas, o que significa que, em dosagem errada, podem criar um efeito oposto àquele que você deseja.

Em todo o planeta há milhares de plantas que se enquadram nesta categoria de medicinais. Elas são usadas desde que o mundo é mundo (basta lembrar da sua avó que com certeza tinha aquele remedinho especial) e agora, na atualidade, foram comprovados os seus benefícios.

Com as pesquisas cada vez mais em andamento, as plantas medicinais tornaram-se um uso frequente de médicos homeopatas e até mesmo dos tradicionais, já que as plantas são estudadas para a criação de novos remédios.

Exemplos de plantas medicinais

Não há como listar todas as plantas medicinais que existem, mas uma boa lista pode ser realizada. Dentre elas estão a abóbora, o abacateiro, a amora, o alecrim-pimenta, a babosa, a bergamoteira, o caju, o cacau, o cardamomo, a curcuma, a erva-cidreira, o funcho, o gengibre, vários tipos de ipês, o louro, o orégano, a pimenta, o pimentão, o pinhão, a sálvia e até a urtiga.

Erva medicinal

Erva medicinal

Sobre a Erva medicinal

Atualmente, muitas pessoas utilizam corriqueiramente algumas ervas que facilitam e dão muitas possibilidades de utilização dentro da culinária, no uso medicinal, dentre outros campos. Além disso, geralmente, o valor econômico agregado a estas ervas é menor do que, por exemplo, nos remédios farmacêuticos.

É muito fácil você encontrar ervas na natureza em extensa quantidade e variedade. Mais comumente, elas são utilizadas para o uso medicinal. Algumas destas plantas ou partes das plantas possuem algumas propriedades de cura e prevenção de doenças. Exatamente por isso, estas ervas são chamadas de ervas medicinais.

Embora as ervas medicinais estejam fazendo mais sucesso somente de uns tempos para cá, elas vem sendo usadas por todos os povos e culturas, desde a antiguidade, como a principal forma de tratamento de saúde. Devido a esta única característica, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já considera uma prova eficaz destas plantas.

Estima-se que mais de 60% da população mundial vem utilizando plantas medicinais ou alguns dos seus derivados nos cuidados da saúde. Isso vem acontecendo porque somente agora as plantas medicinais estão tendo seu valor terapêutico confirmado pela ciência. E, melhor do que isso, acredita-se que este número só tende a crescer.

Tipos de Erva medicinal

Alguns exemplos de ervas medicinais e suas principais aplicações no cotidiano: Alcachofra é um ótimo diurético e eliminador de ácido úrico e também atua nos distúrbios hepáticos e faz baixar a pressão arterial; Alfazema é bastante utilizado como anticéptico, cicatrizante e é um ótimo repelente de insetos; Laranjeira se mostra bastante eficaz contra gripes e resfriados, pois contém vitaminas e sais minerais.

Procure conhecer mais sobre as ervas medicinais e de como se obter o máximo de aproveitamento delas. Além de todos os benefícios, elas são naturais e não trazem nenhum malefício para a sua saúde.

BPF Medicamentos

BPF Medicamentos

Sobre a BPF Medicamentos

O certificado BPF – sigla para Boas Práticas de Fabricação – assegura quais empresas farmacêuticas atendem aos requisitos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e de outros órgãos reguladores internacionais, para a produção de medicamentos.

Os documentos de boas práticas de fabricação de medicamentos começaram a ser criados na década de 1960, após assembleias da Organização Mundial de Saúde. Desde então, todas as empresas farmacêuticas do mundo precisam atender a requisitos mínimos de qualidade para se manter funcionando.

No Brasil, o documento que dá as diretrizes para a produção de medicamentos é a resolução RDC nº 210, de 4 de agosto de 2003. O texto está disponível, na íntegra, no site da Anvisa.

O que as empresas precisam

Para conseguir o BPF, as empresas farmacêuticas precisam realizar uma série de testes de controle, que envolvem desde o processamento à embalagem. Os riscos dizem respeito, principalmente, à contaminação por bactérias e despreparo da mão-de-obra.

Os órgãos de vigilância sanitária são responsáveis pela fiscalização nas empresas farmacêuticas, que também devem realizar a auto-inspeção e oferecer material de treinamento para seus funcionários.

A Anvisa disponibiliza, em seu site, a lista de empresas aprovadas e aquelas que tiveram o certificado cancelado. Quem não atende às exigências comete infração de natureza sanitária e fica sujeito a penalidades legais.

A importância do BPF

As boas práticas de fabricação garantem que o produto que chega ao consumidor esteja livre de agentes de contaminação, corretamente rotulados e cumpram o prometido na bula. Somente o BPF assegura que o medicamento cumpra todos estes requisitos.

Pesquisar
Artigos Relacionados