Osteoporose

links patrocinados

Osteoporose

Osteoporose

Sobre a Osteoporose

A osteoporose, doença que se caracteriza pela fragilidade nos ossos, é constantemente associada ao envelhecimento. Por causa disso, muitas pessoas acreditam que não há necessidade de tomar medidas preventivas antes da proximidade dos 60 anos. Um deslize que poderia evitar várias preocupações mais tarde.

‘Não se chega à velhice, mas envelhece-se por toda a vida’. A frase, de autoria de João Penna Carvalho Neto, no livro ‘É permitido colher flores?’, mostra como é preciso ter cuidados todos os dias com a sua saúde. Afinal, alguns hábitos que você tem hoje podem ser refletidos no seu bem-estar em outros anos de sua vida.

Essa idéia fica clara quando o assunto é osteoporose. A doença é mais comum do que se imagina. Estima-se que uma em cada três mulheres acima dos 50 anos tenha osteoporose. Nos homens, essa proporção fica em um para cada cinco acima dos 50.

Como se manifesta a Osteoporose

A osteoporose se manifesta com a fratura nos ossos, muitas vezes mesmo sem a pessoa ter caído ou tido algum outro acidente. Por isso é preciso se prevenir. As regiões do corpo com mais chance de serem afetadas são a coluna, o quadril e o punho. Mulheres, fumantes, diabéticos e pessoas que consomem álcool ou café em excesso e não fazem exercícios físicos correm mais risco de desenvolver a osteoporose.

Tratamento da Osteoporose

Se você faz parte desse grupo ou já diagnosticou a presença da osteoporose, converse com o seu médico sobre qual o tratamento adequado para você. Ele pode prescrever medicamentos como calcitonina, os bisfosfonatos, raloxifeno, cálcio, vitamina D, entre outros. Muitas dessas substâncias ajudam a diminuir a dor e deixar os ossos mais fortes. Cada uma delas depende, porém, do seu tipo físico e do seu histórico de saúde.

Dicas para evitar a Osteoporose

De qualquer forma, uma dica que pode ajudar é a exposição ao sol, aliada a uma boa dieta. A união dos raios solares com uma alimentação adequada auxilia a deixar seus ossos mais fortes. Além do tratamento, a dica também vale como prevenção para a osteoporose.

Meningite Bacteriana

Muita gente se assusta quando ouve falar de meningite. Isso porque ela é uma doença muito perigosa, que pode ser fatal em alguns casos. Ela preocupa inclusive a saúde pública, já que volta e meia aparecem casos nas grandes cidades, e toda a população fica em alerta pois pode virar uma epidemia.

A meningite bacteriana é uma doença muito mais grave do que o tipo comum de meningite (a viral). Ela causa a infecção nas meninges, pequenas membranas que protegem e revestem o nosso sistema nervoso central.

Para se ter uma ideia, alguns estudos comprovam que esse tipo de meningite mata em torno de 25% dos portadores, e deixa outros 25% com sequelas neurológicas, ainda que estas pessoas tenham feito o tratamento adequadamente. Ela é uma doença muito letal.

Para uma pessoa desenvolver a meningite bacteriana é necessário possuir um foco de doença em alguma parte do corpo. Com isso, a bactéria pode atingir a circulação sanguínea e chegar até o sistema nervoso central. Sinusites e infecções de ouvido também podem causar esse tipo de meningite.

A meningite bacteriana é tão perigosa justamente porque as bactérias atingem o sistema nervoso central. É muito difícil eliminá-las a partir daí, porque os anticorpos não conseguem chegar nas meninges.

Bactérias causadoras da meningite

Vários tipos de bactérias podem ser causadoras da infecção, mas as três mais comuns são pneumococos, hemófilos e gonococos, respectivamente com o nome de: Streptococcys pneumoniae, Haemophilus influenzae e Neisseria meningitidis.

Sintomas da Meningite Bacteriana

Os principais sintomas da meningite são confusão mental, rigidez da nuca e febre. Estudos comprovam que a rigidez da nuca está presente em 80% dos casos. Se o paciente chegar ao hospital com pressão baixa, confusão mental grave ou convulsão, o índice de letalidade da doença aumenta muito.

O diagnóstico da doença é comprovado através do exame de líquor. O hemograma, que mostra o aumento do número de neutrófilos, também auxilia na descoberta da meningite bacteriana.

Tratamento para Meningite Bacteriana

O tratamento desse tipo de meningite é feito principalmente com antibióticos que combatem o tipo exato de bactéria que infectou o seu organismo. Caso esteja com algum sintoma da doença, procure imediatamente um médico, e o mais importante: nunca se automedique.

Pesquisar
Artigos Relacionados