Como diagnosticar intolerância a lactose

links patrocinados

Como diagnosticar intolerância a lactose

A intolerância à lactose é um problema extremamente comum entre adultos, que ocorre quando há insuficiência ou até mesmo ausência de enzimas digestivas para digerir o açúcar do leite. Existem três diferentes tipos de intolerância à lactose: congênita, decorrente de doenças e progressiva.

Os tipos de intolerância à lactose

Como diagnosticar intolerância a lactose Saiba Como diagnosticar intolerância a lactose

Intolerância congênita à lactose é um tipo raro, que aparece imediatamente após o nascimento. A intolerância decorrente de doenças intestinais é muito comum em crianças com menos de um ano, e geralmente aparece após diarreias por infecção. Neste caso, mesmo após a cura da infecção, a criança pode ter um prolongamento da diarreia, devido à ingestão de lactose. A intolerância à lactose progressiva, por sua vez, é uma condição que costuma aparecer a partir dos dois anos, até a vida adulta. Neste caso, a ingestão de produtos com leite pode causar dor abdominal e diarreia.

O que é a Intolerância a lactose

Como identificar a intolerância à lactose

Antes de qualquer coisa, é muito importante ressaltar que a intolerância à lactose possui graduações. O problema varia de acordo com a quantidade de lactase que o indivíduo possui. Esta é a enzima responsável por digerir a lactose. Em alguns casos, há apenas um número um pouco menor de lactase no organismo, o que pode tornar a digestão do leite um pouco mais difícil, mas sem impedir o consumo do alimento. Em outras situações, há a ausência total de lactase, o que obrigará o indivíduo a substituir o leite em sua alimentação.

O primeiro passo para identificar a intolerância à lactose é a própria sensação do indivíduo ao consumir produtos com leite. Caso haja desconforto, é possível recorrer a exames. Há quatro tipos de exames principais: tolerância à lactose, hidrogênio exalado, deposição de ácidos e exame genético.

Intolerância a lactose - tratamento

Os exames

O exame de tolerância à lactose é feito com a ingestão de uma dose da substância. Após duas horas, são medidos os níveis de glicose. Caso não haja aumento de glicose no sangue, a lactose não foi processada. O exame do hidrogênio exalado é parecido, mas, ao invés de um exame de sangue, é analisado o ar expirado pelo indivíduo. A presença de altas concentrações de hidrogênio significa que a lactose não está sendo processada adequadamente.

O exame de deposição de ácidos, por sua vez, mede a quantidade de ácidos graxos e ácido láctico, produzidos quando não há uma boa digestão de lactose. Este procedimento é mais recomendado para crianças. Por fim, há o exame genético, que analisa possíveis mutações relacionadas à produção de lactase.

Intolerância a lactose - exames

Tratamento

Não há cura para a intolerância à lactose. A única solução para o problema é uma reeducação alimentar, que terá como objetivo evitar os desconfortos causados pela ingestão do leite. Dependendo do nível do problema, é possível consumir normalmente leite com baixa concentração de lactose, sem que nenhum sintoma seja percebido. Há também a possibilidade de se utilizar cápsulas sintéticas de lactase, que ajudam a digerir a lactose. Em qualquer caso, é muito importante o acompanhamento médico regular.

Pesquisar
Artigos Relacionados