Como calcular 13º

links patrocinados

Como calcular 13º

Como calcular 13º

No final do ano os gastos aumentam bastante e se não houver planejamento, as contas e dívidas aumentam na mesma proporção. São presentes de Natal, gastar com as comidas e decoração para a Ceia de Natal e de Ano Novo e ainda as viagens para quem gosta de aproveitar.

Para dar o consumidor brasileiro mais poder de compra e ainda mais formas de conseguiu passar o final de ano, o país aplica o Décimo terceiro Salário, que funciona como uma gratificação natalina.

O Décimo Terceiro é pago para o empregado em até duas parcelas até o dia do final do ano. O seu valor é equivalente a 1/12 do que é pagado como salario todo mês. Assim, é aplicada uma base de calculo que vai desde o começo do ano até o final do mês.

Este benefício é pago a partir do numero de meses trabalhados, ou seja, um fração do mês igual a superior a 15 dias de trabalho. Dessa forma, o pagamento é realizado somente pelo tempo que a pessoa trabalhou. Então se ela trabalhou 4 ou 9 meses irá receber o correspondente a isso.

Calcular

Para fazer o calculo do décimo terceiro, não tem erros. Basta que a pessoa pegue o valor do seu salario mensal e divida por 12. Ou seja, se a pessoa recebe um salario mínimo por mês, ela irá ter uma média de 42 reais por mês. Depois é só multiplicar isso por 12 que a pessoa possui o valor.

Geralmente, o valor correspondente do 13º é igual ao que é pago normalmente como salário. Hoje o site do Ministério do Trabalho possui um programa online que realiza o calculo do 13º de uma forma bem simples. Basta informar o valor que ele calcula automaticamente.

Planeje o 13º

Quem recebe o 13º precisa pensar bem como vai querer gastar. Isso evita que as pessoa acabe fazendo mais dívidas. É importante ficar atento a data de pagamento das parcelas também. Vale lembrar que economizar uma fatia deste valor, nem que seja 10% e colocar em uma conta investimento é uma boa forma de fazer render este beneficio um pouco mais.

Profissões e Salários

A cada ano, mais e mais profissionais são inseridos no mercado de trabalho, para trabalhar nas mais diversas áreas. Isso porque, com a economia avançando, a necessidade de bons profissionais é cada vez mais frequente, e o número de vagas aumenta de setor para setor conforme a região e o ano.

Especialistas costumam lançar, a cada período determinado de tempo, uma lista com as áreas mais e menos aquecidas da economia, e isso indica, consequentemente, que nas áreas mais aquecidas a demanda de profissionais é maior.

Profissões do século XXI

Uma tendência bastante observada é o crescimento do setor de construção civil. O aumento do poder aquisitivo e da procura do brasileiro por imóveis fez com que todos os profissionais do setor, desde os trabalhadores da construção até os corretores de imóveis, tivessem uma alta nos últimos tempos.

Para se ter uma ideia, um pedreiro – profissão que não tinha muito status – ganha de R$ 973 até R$ 3 mil reais. Um profissional especializado como mestre de obras, segundo o jornal Gazeta do Povo, pode ganhar até R$ 6 mil por mês. O salário de um engenheiro profissional pode chegar a até R$ 20 mil.

Outra área que vem sofrendo um forte aumento é a ambiental. Profissionais capacitados para gerenciar e recuperar áreas de meio ambiente, como engenheiros florestais, por exemplo, estão tendo cada vez mais campo de trabalho, e o salário inicial é de R$ 3.000.

A área da tecnologia aplicada á saúde também é um setor que se desenvolveu muito, sobretudo no último meio século. Cursos novos, como Biomedicina e Engenharia Genética vieram para especializar cada vez mais esta área, e estas são vistas como profissões do futuro. Os salários variam muito, mas para um Engenheiro Genético, o inicial é de R$ 1.800.

Profissões mais antigas, como na área de Direito, por exemplo, já são consagradas. Para um advogado, o salário médio inicial é de R$ 2.900. É importante lembrar que nem todo mundo que se forma em Direito é advogado: todos são bacharéis, e para advogar é preciso antes ter o exame da Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB.

Pesquisar
Artigos Relacionados