CKMB Enzima

links patrocinados

CKMB Enzima

CKMB Enzima

Sobre a CKMB Enzima

Uma das maiores causas de morte súbita no Brasil, e uma das maiores fontes de preocupação médica hoje em dia, é o infarto agudo do miocárdio. Embora muitas vezes confundido com o termo ataque cardíaco (que é taquicardia), eles não significam a mesma coisa.

O infarto no miocárdio é ocasionado por um processo de necrose (morte do tecido) de parte do músculo cardíaco, que faz com que ele pare de funcionar corretamente. Esse processo geralmente é ocasionado pela falta de oxigênio e de nutrientes adequados.

Causas do infarto

Dois motivos são os principais causadores de infarto no miocárdio: a obesidade e o espasmo coronariano. A obesidade porque favorece (entre outras coisas) o acúmulo de gordura nas artérias coronárias (que irrigam o coração), e essa gordura pode causar entupimento. Assim não passa nem oxigênio e nem nutrientes essenciais para o funcionamento do órgão.

Já o espasmo coronariano é causado pelo colabamento das paredes das artérias (elas grudam uma na outra). Não há uma causa específica para a ocorrência disso, mas estudos médicos já identificaram o ato de fumar, a exposição a frio extremo, o uso de drogas como a cocaína e a dor intensa ou estresse emocional como possíveis causadoras.

Diagnóstico e o papel da CKMB

O diagnóstico do infarto é feito a partir de uma série de exames, como eletrocardiograma, raio-X e vários exames de sangue. Um deles é o exame de sangue que detecta presença de uma enzima, a CKMB (creatinofosfoquinase-MB).

Esse exame tem um papel importante no diagnóstico, já que a CKMB é uma enzima que vaza de um músculo deteriorado. A presença de níveis elevados de CKMB no sangue indica que há um músculo sendo destruído por algum processo anormal, como distrofia ou inflamação.

Tratamento do infarto

O infarto no miocárdio tem uma taxa de mortalidade bastante alta, mas há casos em que o paciente sobrevive. Nesses casos, o médico deve avaliar o paciente especificamente e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. O tratamento imediato para casos de suspeita de infarto agudo normalmente inclui a nitroglicerina sublingual, aspirina e o oxigênio.

CKMB

CKMB

Muitas pessoas possuem predisposição para desenvolverem problemas cardíacos, mas não tomam o cuidado necessário nem procuram acompanhamento médico. A maior consequência dessa falta de atenção com a saúde cardíaca é o infarto, que é a necrose de parte dos músculos do coração devido à falta de oxigênio.

Como acontece o infarto

O infarto ocorre quando o coração fica sem oxigênio e nutriente suficiente para continuar trabalhando. Desta forma, parte do tecido cardíaco morre, e uma das causas mais habituais da morte celular é a isquemia – uma forma de deficiência sanguínea. Isso acontece por oclusão de uma das artérias coronárias.

Esta oclusão acontece, geralmente, devido à formação de um coágulo sobre a área previamente comprometida pela aterosclerose, causando estreitamentos nas artérias. Diagnosticar um início de infarto não é muito simples, já que depende da demonstração da morte celular.

Um dos sintomas mais comuns em pessoas que estão tendo um infarto é dores no braço esquerdo, mas isso só acontece quando parte do músculo já está bastante danificada. Existem exames que demonstram se a pessoa está com os músculos do coração bons ou se existe alguma parte que indica perigo.

Diagnósticos – CKMB

Se a pessoa consegue descobrir os sintomas do tecido necrosado antes de passar mal, deve-se tomar muitos cuidados durante e após a recuperação. Os exames devem ser constantemente realizados e acompanhados por um cardiologista. Entre os testes efetuados para a identificar os danos causados aos tecidos cardíacos estão o eletrogardiograma, exames de sangue, entre outros.

Um dos marcadores que indicam a presença ou ausência de necrose no coração é a fração creatinofosforquina-se-MB, conhecida como CK-MB. Ela consiste em uma enzima cardíaca que identifica, especificamente, a necrose miocárdica. Sua curva característica é padrão para diagnosticar o infarto.

Na prática do diagnóstico clínico, o CK-MB é introduzido no paciente nas 12 primeiras horas de avaliação, junto com as troponinas, para verificar se existe a síndrome coronariana aguda e o acompanhamento das curvas do CK-MB é feito para diagnosticar os pacientes com indícios de infarto.

Quanto mais cedo a pessoa descobrir o problema, melhores as chances de boa recuperação. Quanto menor a área necrosada, ou seja, a área de infarto, maior a possibilidade de tratamento e recuperação, já que em casos mais avançados é preciso recorrer à cirurgia cardíaca.

Pesquisar
Artigos Relacionados