Causas da Apendicite

links patrocinados

Causas da Apendicite

Causas da Apendicite

A apendicite é uma inflamação no apêndice, que fica localizado no início do intestino grosso, sendo dividida em aguda (com apenas uma grande crise, que leva à cirurgia) e a crônica (com várias pequenas crises ao longo da vida). Segundo estimativas, a maioria dos casos de apendicite é da aguda, ocorrendo durante a adolescência e os jovens, muito comum entre os quinze e os trinta anos, não sendo uma cirurgia complicada. A inflamação ocorre a partir do acúmulo de materiais fecais em cima do ceco (local onde o apêndice se encontra).

Os principais sintomas incluem: falta de apetite, dor abdominal fraca, porém constante, que vai crescendo aos poucos em intensidade. O aparelho digestivo acaba sendo afetado também, febre e desconforto, náusea e vômito. O diagnóstico é realizado através de exame por profissional médico, principalmente ao apalpar o abdômen do paciente, que deve estar inchado e sensível. Para auxílio, o ultra som deve finalizar o exame a partir de análise. Além disso, o lado direito é o que fica mais alterado, principalmente no caso das trompas para as mulheres.

Ao ser diagnosticado, o paciente deve ser encaminhado para cirurgia imediatamente, para não haver complicações do seu quadro clínico, além de ser a única forma de tratamento possível. A cirurgia é feita com uma pequena incisão ou então de forma laparoscópica. Em muitos casos, o paciente se recusa a ficar esperando pelo diagnóstico no hospital, entretanto isso é extremamente perigoso, pois o apêndice pode romper a qualquer momento, fazendo com que o indivíduo tenha sérios riscos de morte.

Mais informações

Os casos freqüentes de apendicite ocorrem devido às seguintes situações: pequena pedra de fezes obstruindo o canal, parasita intestinal alojado na região, além de cálculos vesiculares, bactérias e afins. Tudo isso acaba resultando em um acúmulo de células mortas ou então diferentes tipos de substâncias que ficam no local. Caso o inchaço seja grande o suficiente para estourar o órgão, as fezes e pus são espalhadas para a peritonite e, posteriormente, para o restante do corpo, caso a situação não seja controlada.

Outras possibilidades incluem: abscesso bacteriano (devido ao número grande de bactérias localizadas nessa área, com as fezes), inflamação, trombose, etc. Na maioria dos casos, o diagnóstico em si é muito amplo, dependendo do paciente, resultando numa dificuldade na hora de apontar qual é o problema. O que pode ajudar é a contagem de leucócitos (que pode ser vista através do hemograma), a alteração de cor da urina, ou então o uso de tomografia e ultra som para analisar a região em questão. A cirurgia remove o apêndice inflamado, que não tem exatamente uma função específica e o ser humano consegue sobreviver sem tê-lo.

A recuperação é relativamente rápida se compararmos com outras cirurgias, sendo que a internação pode variar entre vinte e quatro e setenta e duas horas, sendo que o paciente pode sair do hospital e continuar o acompanhamento por até três meses. A maioria das pessoas consegue se recuperar bem da cirurgia, inclusive sem cansaço após a primeira semana e apenas evitando esforços físicos.

Fotos

ApendiciteApendicite
A apendicite é a inflamação do apêndiceA apendicite é a inflamação do apêndice
O tratamento para a apendicite é cirúrgicoO tratamento para a apendicite é cirúrgico

Pesquisar
Artigos Relacionados