Prevenção do Câncer

links patrocinados

Prevenção do Câncer

Prevenção do Câncer

Sobre a Prevenção do Câncer

O câncer é uma doença que está sendo muito discutida há alguns anos, seja nas novelas, seja na mídia. Mas, infelizmente, ela não está restringida ao virtual. Todo mundo conhece alguém que teve câncer, que morreu de câncer, a própria pessoa já teve câncer ou alguém da família teve. Isto significa que devemos nos prevenir e torcer para não passarmos por este problema que, muitas vezes, é irreversível.

Muitas substâncias e hábitos podem colaborar para que você tenha algum tipo de câncer. Inclusive, recentemente foi proibido em todo o Brasil o bronzeamento artificial, por causa do grande risco de causar câncer de pele.

Portanto, invariavelmente você vai ter atitudes ‘cancerosas’, mas evitá-las é crucial. Você pode começar evitando entrar em contato com substâncias químicas utilizadas em indústrias sem estar com alguma proteção. Com esta atitude, você previne câncer de pulmão, de boca e garganta e de bexiga.

Modificar alguns hábitos também ajudam a prevenir a doença, principalmente se você tiver casos na família. Portanto, evite fumar e beber excessivamente. Isto previne o câncer de pulmão, esôfago e de boca e garganta.

Como evitar o Câncer

Para evitar o câncer de pele, utilize protetor solar diariamente no rosto e em todas as partes do corpo que vão ficar expostas. Reponha o protetor a cada cinco horas (e, se você suar bastante ou entrar em contato com água, repasse a cada duas horas) e evite o horário de pico do sol que vai das 10h às 16h.

E, claro, consulte o seu médico regularmente, faça todos os exames, porque, em caso de algum problema, é melhor e a cura é mais garantida quando ele é descoberto e tratado cedo.

Febre amarela – prevenção, sintomas e tratamento

A febre amarela é uma doença típica de áreas subdesenvolvidas, como África, América do Sul e Central, transmitida por mosquitos principalmente em áreas silvestres. Uma pessoa não transmite febre amarela diretamente para outra.

Recentemente, uma epidemia de febre amarela atingiu principalmente a região Centro-Oeste do Brasil, mas logo foi combatida.

Prevenção da febre amarela

A melhor forma de se prevenir da doença é através da vacina contra a febre amarela. Ela é extremamente eficaz e deixa o paciente imune por um longo tempo. O combate ao mosquito transmissor também é importante.

O nome técnico da vacina é 17DD e ela é feita com o próprio vírus da doença para que o corpo “aprenda” a se defender dela. Ela é produzida no Rio de Janeiro e é aplicada no braço do paciente. Geralmente, em menos de uma semana a imunidade já é garantida.

A vacina pode ser tomada a partir dos nove meses de idade. A vacina está disponível na rede pública e é gratuita. Se quiser mais informações, pesquise pelo posto de saúde mais próximo de você. A vacina deve ser aplicada pelo menos dez dias antes de qualquer viagem para área de risco.

A vacina geralmente produz poucos efeitos colaterais. Em torno de 5% das pessoas vacinas podem apresentar sintomas como dor de cabeça e dor muscular e relações na pele onde o medicamento foi introduzido. Esse quadro costuma ser bem raro.

Sintomas da febre amarela

Os sintomas da febre amarela são os mesmos da dengue, da malária e da leptospirose. Portanto, é importante procurar logo um médico para que a doença seja diagnosticada. Febre alta, dores de cabeça, muscular, nas articulações e abdominal, enjôos, vômitos, indisposição, cansaço, e manchas vermelhas na pele.

Tratamento da febre amarela

A febre amarela não tem tratamento específico. As pessoas com suspeita da doença devem ser internadas para tratamento de suporte, que é feito basicamente com hidratação e antitérmicos. Assim como a dengue, não se deve ingerir remédio à base de ácido acetilsalicílico (AAS), como aspirina. Procure imediatamente um centro de saúde aos primeiros sintomas da doença.

Contra-indicações

Somente um médico pode orientar a vacinação nos seguintes casos: mulheres que estejam em período de amamentação, pessoas que estejam com febre ou doenças crônicas e bebês entre cinco a nove meses de idade. Seja prudente e converse com seu médico a respeito da vacinação.

Pesquisar
Artigos Relacionados