Judô – História, Técnicas e Golpes do Judô

links patrocinados

Judô – História, Técnicas e golpes do judô

Judô: arte marcial transformada em esporte de combate

O judô é uma arte marcial transformada em esporte de combate, sua origem é oriental, mais especificamente no Japão. Foi fundado por Jigoro Kano no ano de 1882. Jigoro era um professor de educação física que desenvolveu o judô após estudos sobre artes marciais japonesas antigas, seu intuito era criar um método que unisse os melhores golpes e que fizesse um elo entre corpo e a mente.

Após selecionar as melhores técnicas, ou seja, aquelas que fossem mais enérgicas, Jigoro intitulou a nova modalidade com o nome de judô – que é a junção entre as palavras ‘ju’ que quer dizer suave, e ‘do’ que significa caminho. O “caminho suave” tornou-se umas das formas de luta mais conhecidas do mundo.

Como funciona a lógica da prática do judô

Jigoro desenvolveu o judô para ser um desporto que trabalhe simultaneamente o corpo, a mente e também o espírito. E que pudesse ser praticado por todos os sexos, idade, peso e tamanho. O judô é um esporte igualitário. No mesmo ano da sua criação, 1882, Jigoro fundou o Instituto Kodokan que tinha como foco os ensinamentos do esporte junto a uma linha filosófica, já que o judô também trabalha a mente.

Através do seu instituto Jigoro tratou de disseminar o código de ética que rege o judô. Os ensinamentos contidos no código dos judocas se baseiam em: respeito, amizade, cortesia, honestidade, coragem, honra, modéstia e autocontrole.

Surgimento do judô no Brasil é acarretado pela imigração japonesa

A arte marcial criada por Jigoro só chegou às terras tupiniquins a partir do ano de 1920, junto com a imigração japonesa no Brasil. Desembarcaram em São Paulo vários seguidores do Instituto Kodokan. Os primeiros professores e lutadores que ganharam notoriedade brasileira foram os alunos de Jigoro: Mistuyo Maeda e Soishiro Satake.

Nos primeiros anos de disseminação do judô no Brasil o desporto era comandando pelas colônias japonesas, depois passou à Confederação Brasileira de Pugilismo. Somente após da entrada do judô na Olimpíada de Tokyo ocorrida em 1964, que se formou a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) – inaugurada no dia 18 de março de 1969. No entanto, a CBJ só foi reconhecida oficialmente em 1972 quando os atletas brasileiros ganharam sua primeira medalha olímpica.

De lá para cá, o Brasil já recebeu o Campeonato Mundial de Judô três vezes: no ano de 1965, 2007 e 2013. Atualmente estima-se que existam mais de um milhão de judocas em terras brasileiras. A CBJ está presente em 27 estados e é o esporte brasileiro com o maior número de medalhas conquistadas em Jogos Olímpicos.

Como são divididos os níveis de aprendizagem e a troca de faixa do judô

O judô é divido em oito graduações (níveis de aprendizado), na qual são divididas por nove cores de faixas. A primeira é a branca, seguida por cinza, azul, amarela, laranja, verde, roxa, marrom e preta. Todo judoca começa na faixa branca e com o tempo vai evoluindo sua graduação. Porém, até os 15 anos de idade o judoca só pode avançar até a faixa de cor amarela. Aí, com o evoluir da idade e dos ensinamentos as cores das faixas vão sendo trocadas.

Principais golpes do judô

Os principais golpes do judô são: o ‘ippon’ que consiste em derrubar o adversário usando os ombros ou nas costas. Essa técnica, se bem aplicada, elimina o judoca que caiu no chão e é o golpe com maior pontuação dentro da luta. Em seguida vem o ‘wazari’ que é realizado quando o ‘ippon’ não conseguiu derrotar o lutador concorrente, depois dele realiza-se o golpe duas vezes, ou seja, dois ‘wazari’ equivalem a um ‘ippon’. Já o ‘yuko’ vale a terceira maior pontuação no judô e é realizado quando o lutador que recebeu o golpe cai no chão de lado. O ‘koka’ recebe o menor número de pontos durante a luta, ele acontece quando oponente cai sentado.

GD Star Rating
loading...
Judô - História, Técnicas e Golpes do Judô, Nota: 4.3 de 5 com 282 votos
Pesquisar
Artigos Relacionados