Obmep 2011

links patrocinados

Obmep 2011

Obmep 2011

Todos os anos, alunos da rede pública de ensino do Brasil são convidados a participar da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Este é um projeto que tem como finalidade estimular o estudo na área de matemática e, assim, revelar talentos para este conhecimento.

A Olimpíada teve sua primeira edição em 2005, e vem crescendo desde então. Ela é uma forma de estimular o estudo da matemática entre os professores e alunos de todo o país. Somente em 2010, 99% dos municípios brasileiros estiveram representados na OBMEP, totalizando aproximadamente 19,5 milhões de alunos inscritos.

Essa participação massiva dos alunos da rede pública de todo o país dá a OBMEP o título de maior olimpíada de matemática do mundo.

Edição 2011

O período para inscrições da edição deste ano se encerrou no dia 3 de junho. Ao todo, foram mais de 18 milhões e setecentos mil alunos, representando 44.691 escolas em todo o país. É possível verificar todas as escolas inscritas para a competição no site da OBMEP.

As provas acontecem em duas fases. A primeira fase aconteceu no dia 17 de agosto, onde os concorrentes tiveram que resolver a prova objetiva, com questões de múltipla escolha. Elas foram aplicadas nas escolas inscritas, e tiveram duas horas e meia de duração.

Quem fará a correção das provas da primeira fase são os professores das próprias escolas, com base nos gabaritos elaborados pela direção da OBMEP. Somente depois da correção das provas e envio para a coordenação geral da OBMEP quais foram os alunos classificados para a segunda fase é que acontecerá a próxima etapa da Olimpíada.

Segunda fase

A aplicação das provas da segunda fase está marcada para acontecer no dia cinco de novembro, às 14h30. Nesta fase, a prova será discursiva e terão duração de 3 horas. Quem fará a aplicação da mesma serão os fiscais selecionados pela direção da OBMEP. Os locais de realização da segunda fase serão divulgados no site da OBMEP, por isso é preciso ficar ligado.

O resultado final da Olimpíada será divulgado em fevereiro de 2012. Os premiados ganharão diversos prêmios ligados à vida acadêmica, como bolsas de iniciação científica.

Mau ou Mal

Mau ou Mal

Mau ou Mal

A hora de escrever um texto pode ser bastante difícil para quem ainda tem dúvidas quanto às regras gramaticais do Brasil. Por mais que se tenha estudado a língua portuguesa durante toda a sua vida, é normal aparecer alguma dúvida e precisar de um auxílio na hora de colocar as palavras no papel.

Dificuldade na escrita

Uma das grandes dificuldades da língua portuguesa do Brasil diz respeito ao significado das malavras que tem a mesma fonética, mas grafias diferentes. Esse é o caso de “viagem e viajem” ou “mal e mau”. Ou seja, a palavra falada tem exatamente o mesmo som, o que dificulta saber quando empregá-la corretamente na escrita.

No caso do “mal e mau”, uma das maneiras de tentar lembrar é com a frase “o lobo mau cheira mal”. Se fosse para substituir as duas palavras por “bom e bem”, fica fácil saber qual vai substituir qual termo. Então, basta pensar nessa mesma frase quando ficar em dúvida quanto a qual a colocação da palavra.

Para entender de maneira mais simples, o ‘mau’ é o adjetivo que vai contra o significado do ‘bom’, ou seja, realmente dá a impressão de ser uma coisa ruim. Naquela primeira frase, o ‘mau’ faz referência ao lobo mau da conto da Chapéuzinho Vermelho.

Diferenças no uso

Por outro lado, o ‘mal’ tem mais de uma definição. Este pode ser qualificado como advérbio (aquele que qualifica um verbo), uma conjunção, ou um substantivo. Pensando na mesma frase, o sentido de advérbio seria válido por endenter que o ‘mal’ está caracterizando o verbo ‘cheirar’.

Enquanto isso, o ‘mal’ como conjunção pode ser identificado em dois sentidos: assim que ou logo que. Assim, passa a ideia de tempo quando a palavra ‘mal’ é usada para garantir uma noção de transição, de movimento.

Por fim, o ‘mal’ pode também assumir o caráter de substantivo, como se substituísse a palavra ‘doença’, ‘defeito’ ou ‘problema’. Quando a pessoa fala que ‘tem um mal’ ou de ‘mal estar’, esse é o sentido da palavra. De qualquer maneira, uma das maneiras mais fáceis de diferenciar as duas palavras é pela relação entre ‘mau – bom’ e ‘mal – bem’.

Pesquisar
Artigos Relacionados