Guia de Carreiras – Química

links patrocinados

Sobre Guia de Carreiras – Química

Guia de Carreiras – Química

Com diversos campos de atuação, a área de química tem atraído cada vez mais estudantes. De acordo com a Abiquim (Associação Brasileira de Química), o Brasil vai precisar de algo entre 200 mil a 300 mil profissionais do setor até 2020, em diversos níveis, de técnicos a pós-graduados. Em São Paulo, estima-se que existam cerca de 80 mil profissionais graduados atualmente.

A carreira

Karina Carodozo, doutora em bioquímica pela USP, diz que o químico é um “cientista muito persistente”. Para se atuar nesta área, o primeiro passo é gostar de disciplinas de ciências exatas. Os cursos de graduação dão muita ênfase a cálculos, para que os profissionais estejam aptos a atuar com a chamada química analítica, muito importante em laboratórios.

A carreira de químico possui uma variedade de possibilidades de atuação. Quem se gradua na área pode, por exemplo, trabalhar em indústrias petroquímicas, de tinta, de cosméticos, de alimentação, têxtil, de materiais de construção e muitas outras. Com o crescimento do Brasil e o consequente aumento no número de indústrias, o setor vem oferecendo diversas vagas para profissionais qualificados.

De acordo com o preisdente executivo da Abraquim, Fernando Figueiredo, além de o mercado de trabalho oferecer diversas vagas, a remuneração é muito boa. Os alunos, antes de iniciar o curso, podem optar por dois caminhos: os cursos técnicos ou o ensino superior. No caso dos cursos técnicos, os profissionais estão impedidos de assumir certas responsabilidades, como elaborar laudos de análises. Seu principal ramo de atuação são atividades de pesquisa e desenvolvimento.

No ensino superior, a formação é completa e, portanto, amplia as opções no mercado de trabalho. Isso porque, diferente daqueles que cursaram o técnico, o estudante de cursos superiores recebe uma formação mais aprofundada e conceitos mais completos. O curso técnico costuma ser voltado para a atuação em processos industriais.

Remuneração

De acordo com o Conselho Regional de Química de São Paulo, o salário inicial de um químico supera o de diversas profissões: um profissional iniciante recebe cerca de R$3270 mensais, para uma carga horária de seis horas diárias. Para quem trabalha oito horas por dia, o valor aumenta para R$4632. Estes valores são o piso salarial para quem atua na indústria, mas a química também oferece um vasto campo na pesquisa acadêmica.

Pós-graduação

Quem deseja atuar com pesquisa terá um caminho longo pela frente. É essencial que o pesquisador tenha, pelo menos, doutorado. A grande vantagem é que, diferentes de algumas profissões, quem decide fazer pós-graduação em química não tem espaço apenas nas universidades. É cada vez mais comum que empresas privadas aumentem seu setor de pesquisa e desenvolvimento, o que também traz oportunidades para estes profissionais na indústria.

Outro setor que vem ganhando espaço para os químicos é o de saúde, especialmente nas áreas de toxicologia e análises clínicas. A química Vivian Teixeira é um exemplo de profissional que optou por esta área. Formada pela Unesp, Vivian prepara as soluções que são utilizadas em análises clínicas. Cada setor, como bioquímica e anatomia patológica, exigem soluções específicas.

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Química:

Profissão Químico Química Guia de Carreiras Mercado de trabalho Química Área de atuação Química

Pesquisar
Artigos Relacionados