Guia de Carreiras – Fonoaudiologia

links patrocinados

Sobre Guia de Carreiras – Fonoaudiologia

Guia de Carreiras – Fonoaudiologia

De acordo com Thelma Costa, que preside o Conselho Regional de Fonoaudiologia em São Paulo, o mercado para os profissionais deste setor está em crescimento e sã ocada vez maiores as possibilidades de se especializar. Thelma se formou há cerca de três décadas e escolheu o curso de fonoaudiologia, principalmente, porque gosta de cuidar de outras pessoas.

Antes de começar o curso superior, Thelma visitou m consultório e, a partir daí, teve certeza de que aquilo era realmente o que ela queria. Ainda segundo ela, antigamente era comum que profissionais com outras formações fizessem o papel de fonoaudiólogos, realizando exames e oferecendo diagnósticos, algo que não acontece mais hoje em dia.

Ramos da fonoaudiologia

Quem se forma em fonoaudiologia pode atuar em diversas especialidades, como a audiologia, que estudo tudo aquilo que se relaciona à audição. Há também outros ramos, como linguagem oral e escrita, que auxilia a tratar problemas como gagueira e grafia inadequada. O cuidado com a voz, que é o ramo de atuação mais conhecido dos profissionais da fonoaudiologia, pode ser utilizado para tratar qualquer pessoa que deseje melhorar sua voz, especialmente aquelas que trabalham com o público, como jornalistas e políticos.

A fonoaudiologia, entretanto, também é importante para outros cuidados com a saúde. Pessoas que têm problema com a musculatura facial ou da língua, por exemplo, podem encontrar auxílio com fonoaudiólogos. Segundo Thelma Costa, a fonoaudiologia permite que o profissional atue com pacientes de todas as idades, de recém-nascidos a idosos.
De acordo com Thelma, o setor que mais emprega fonoaudiólogos, atualmente, é a saúde pública. Neste caso, além de trabalhar no setor de saúde, diretamente com os pacientes, o fonoaudiólogo normalmente se torna uma espécie de gestor, auxiliando na criação de políticas de saúde.

O chamado “teste da orelhinha”, por exemplo, se popularizou graças ao esforço de fonoaudiólogos para mostrar como o exame era importante. Este teste analisa a audição das crianças assim que elas nascem.

Atendimento particular

Embora ó setor público de saúde contrate muitos profissionais, há aqueles que preferem trabalhar em clínicas ou abrir seu próprio consultório. Nestes casos, o mercado de trabalho também se mostra interessante. Grandes empresas de telemarketing, por exemplo, costumam contratar fonoaudiólogos para auxiliar com cuidados na voz dos funcionários.

O curso

O curso superior em fonoaudiologia é bem diverso em sua grade curricular, com disciplinas de várias áreas do conhecimento, como ciências biológicas, sociais e humanas. Os estudantes, além de passar por disciplinas como genética, fisiologia, anatomia e patologias, também têm uma formação humanística com matérias como ética, pedagogia e psicologia.

Parte considerável do currículo tem como foco as disciplinas específicas, como linguagem oral e escrita, audição, tratamento de distúrbios de comunicação e diagnóstico. O estágio é obrigatório para a conclusão do curso superior.

Segundo o Guia do Estudante, os melhores cursos de fonoaudiologia do país estão na UFPE (Recife), UFSM (Santa Maria), USP (Bauru) e três em São Paulo, capital: USP, Unifesp e PUC-SP. O salário inicial de um fonoaudiólogo é de cerca de R$1800. Os que atuam com sessões particulares cobram, inicialmente, cerca de R$50 por sessões de meia hora.

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Fonoaudiologia:

Profissão Fonoaudiólogo Mercado de trabalho Fonoaudiologia Área de atuação Fonoaudiologia Fonoaudiologia Guia de Carreiras

Pesquisar
Artigos Relacionados