Guia de Carreiras – Engenharia de automação

links patrocinados

Guia de Carreiras - Engenharia de automação

Guia de Carreiras – Engenharia de automação

Quem gosta de física, matemática, informática e raciocínio lógico tem grandes chances de se dar bem no mercado de engenheria de automação. O profissional desta área tem como função automatizar processos que são realizados de maneira manual em qualquer tipo de empresa. A automação é feita através de softwares e sistemas digitais. É comum que o engenheiro de automação divida seu tempo entre o escritório, onde desenvolve seus projetos, e as linhas de produção, onde aplica os novos métodos.

Graduado na UFM (Universidade Federal de Minas Gerais), Wislann Santos atua no Rio de Janeiro, na Radix, empresa que desenvolve softwares de automação. Wislann começou a trabalhar neste setor antes mesmo de se graduar, quando trabalhava como técnico em eletromecânica. Um de seus últimos projetos foi a automação da linha de produção para uma siderúrgica. Com este sistema, os operadores não precisam mais ficar perto das máquinas.

Requisitos

Além do gosto pelas disciplinas já mencionadas, o engenheiro de automação precisa ter um conhecimento fluente em inglês. Isso porque a grande maioria dos softwares e manuais vêm dos Estados Unidos. Saber espanhol não é fundamental, mas costuma ser recomendável.

Mercado de trabalho

Embora as empresas que possuem linhas de montagem sejam o principal mercado para um engenheiro de automação, também é possível atuar em outros setores, como o desenvolvimento de sistemas de segurança para bancos, por exemplo. O setor financeiro também tem contratado cada vez mais profissionais desta área.

De acordo com Wislann, assim como outras diversas áreas da engenharia, a de automação tem vivido um bom momento, especialmente em cidades grandes. Empresas e indústrias de diversos portes estão dando mais valor para estes profissionais, o que aumenta a oferta de emrpego e a remuneração. Atualmente, o salário inicial para quem trabalha com engenharia de automação é, em média, de R$3060, para seis horas diárias de trabalho.

Luiz Lenarth, que coordena o curso de engenharia da automação na Unifei, em Itajubá (MG), explica que qualquer indústria, atualmente, possui algum nível de automação. Por isso, a demanda por profissionais qualificados tende a aumentar ainda mais. As regiões Sudeste e Nordeste são aquelas onde há maior possibilidade de emprego para engenheiros de automação. A melhor maneira de se conseguir um emprego na área é através dos estágios, principalmente no que diz respeito a indústrias de grande porte.

O curso

Assim como em outros cursos de engenharia, o de automação possui um currículo inicial voltado para informática, química, física e matemática. Neste momento os estudantes também recebem noções sobre os efeitos sociais da automação e a lógica digital como um todo.

No terceiro ano do curso, surgem disciplinas mais específicas, como eletrônica, computação e engenharia mecânica. Neste momento os estudantes começam, também, a passar mais tempo em laboratórios, onde projetam e desenvolvem máquinas eletronicamente operadas. Para concluir a graduação, o estágio e o trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

De acordo com o Guia do Estudante, os melhores cursos de engenharia de automação no Brasil são os da Unb (Brasília), UFMG (Belo Horizonte), PUC-PR (Curitiba), UFSC (Florianópolis) e Unicamp (Campinas).

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Engenharia de automação:

Profissão Engenheiro de Automação Engenharia de automação Guia de Carreiras Mercado de trabalho Engenharia de automação Área de atuação Engenharia de automação

Pesquisar
Artigos Relacionados