Guia de Carreiras – Arqueologia

links patrocinados

Sobre Guia de Carreiras – Arqueologia

Guia de Carreiras – Arqueologia

Quando falamos em arqueologia, quase sempre nos lembramos de Indiana Jones, o herói arqueólogo interpretado por Harrison Ford. De acordo com Lúcia Oliveira Juliano, arqueóloga que atua na Prefeitura de São Paulo, a referência é tão forte que muitos adolescentes desejam cursar arqueologia devido ao personagem. Lúcia explica que o caráter aventureiro do arqueólogo, entretanto, é um equívoco. Estes profissionais são, na verdade, pesquisadores que analisam evidências de ocupações humanas antigas.

Lúcia se tornou arqueóloga quando o curso de graduação ainda não existia no Brasil. Antes, era necessário realizar a graduação em outra área – no caso dela, geologia – e, posteriormente, fazer uma pós-graduação em arqueologia. Atualmente, já existem ao menos quatro cursos com arqueologia na modalidade de bacharelado.

Mercado de trabalho

Assim como os cursos aumentaram, a demanda por profissionais da área também apresentou um aquecimento. A questão ambiental, que cada vez mais se torna uma realidade do nosso cotidiano, auxiliou a impulsionar a carreira. Isso porque o arqueólogo pode, por exemplo, auxiliar em análises de impacto ambiental em grandes obras.

De acordo com a arqueóloga Rucirene Miguel, o mercado de trabalho para arqueólogos mudou bastante na década de 1990, quando a nova legislação impediu a construção de grandes obras em locais que prejudiquem sítios arqueológicos. Isso criou uma grande demanda por profissionais e auxiliou no aumento de cursos de graduação na área.

Embora vá a campo para escavar e investigar sítios arqueológicos, o profissional da área também é responsável por conceber projetos e realizar pesquisas documentais e bibliográficas. Alguns materiais muito utilizados pelos arqueólogos em seus projetos são, por exemplo, imagens aéreas dos locais onde se pretende realizar a análise de impacto ambiental. Também é de responsabilidade dos arqueólogos registrar e organizar materiais para estudo em laboratório ou exposições, por exemplo.

O curso

Quem escolher a arqueologia como área de atuação precisa ter muito gosto pelas cuências humanas e por geografia. O ofício ainda não é regulamentado no Brasil, portanto, não há parâmetros em relação à remuneração ou à jornada de trabalho. Dentre as universidades que oferecem a graduação em arqueologia estão a Universidade Federal do Piauí (IFPI), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) e Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Outros dois cursos que possuem boa avaliação do Guia do Estudante são o da PUC Goiás e o da Univasf, no Piauí. O curso de arqueologia possui disciplinas como cartografia, educação ambiental, história brasileira, pré-história, geologia, museologia, zooarqueologia e sociedades indígenas.

Entre as disciplinas mais voltadas para a teoria estão filosofia, língua portuguesa, sociologia, biologia, antropologia e estatística. Apesar do forte caráter teórico, o curso de arqueologia possui vários momentos práticos. Desde o primeiro ano de curso, os alunos realizam diversas visitas a parques naturais e sítios arqueológicos, onde é possível visualizar, na prática, elementos de sociedades antigas.

Aulas de Laboratório

O acadêmico também passa bastante tempo em laboratórios, onde aprende a documentar acervos e realizar restaurações. Apesar de não haver regulamentação na área, há concursos públicos que exigem a formação em arqueologia. O curso possui mais força nas regiões norte e nordeste, devido ao grande número de vestígios de civilizações antigas nestes locais.

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Arqueologia:

Profissão Arqueólogo Mercado de trabalho Arqueologia Área de atuação Arqueologia Arqueologia Guia de Carreiras

Pesquisar
Artigos Relacionados