Guia de Carreiras – Administração pública

links patrocinados

Sobre Guia de Carreiras - Administração pública

Guia de Carreiras – Administração pública

Embora possua semelhanças com os cursos de administração de empresas, quem cursa administração pública se habilita para outros setores, como atuação em órgãos governamentais, fundações, ONGs, organizações internacionais e concessionárias de serviços públicos. De acordo com Fernando Luiz Abrucio, que coordena o curso de administração pública na FGV (Fundação Getúlio Vargas), até mesmo as empresas têm procurado gestores públicos, pois os governos são os maiores compradores do país.

Abrucio explica que que o gestor público não precisa, obrigatoriamente, ter talento para a vida política. Contudo, tem sido cada vez mais comum que os assessores políticos procurem a graduação em administração pública. O profissional desta área deve ser articulado, ter capacidade para construir alianças e trabalhar em grupo.

O curso

O curso de administração pública, conhecido em alguns lugares como gstão pública, pode ser oferecido como bacharelado ou curso tecnológico. O bacharelado possui a mesma base dos cursos tradicionais de administração, apresentando disciplinas como estatística, administração financeira, matemática, direito e contabilidade. Contudo, como o objeto é diferente – neste caso, a esfera pública -, há algumas disciplinas específicas desta graduação, como finanças para administradores públicos, contabilidade pública e radiografia do estado brasileiro. O curso de graduação tem, em média, quatro anos de duração.

O curso tecnológico, por sua vez, tem duração média de dois anos. Nele, são oferecidos conhecimentos sobre áreas como mercado financeiro, legislação e direito administrativo. Há também uma série de discplinas específicas, como responsabilidade social, gestão de empresas públicas, licitações e gestão governamental. Para concluir o curso, é obrigatória a apresentação de um trabalho de conclusão.

Além da FGV, universidades como USP e Unicamp também oferecem o curso de graduação em administração pública. Na USP, o curso é denominado como gestão de políticas públicas. O vestibular para ingressar no curso costuma ter, em média, pouco mais de quatro candidatos por vaga.

Dinamismo

Segundo Abrucio, o mercado para gestores públicos é um dos mais dinâmicos dentro das ciências humanas. O curso existe no país há pouco mais de 40 anos, e teve a FGV como pioneira. Ao longo dos anos, entretanto, diversas alterações precisaram ser realizadas no perfil dos cursos de graduação, de modo a se adequar às mudanças no mercado de trabalho.

Principalmente nos últimos dez anos, o mercado de trabalho para gestores públicos passou a exigir profissionais inovadores, com espírito empreendedor e capacidade para conciliar os mais diversos interesses.

Remuneração

O salário médio de um gestor público é bem variável, devido à amplitude de sua área de atuação. Em concessionárias de serviços públicos, por exemplo, o salário inicial é de R$3,5 mil. Em fundações empresariais, os salários costumam variar entre R$5 mil e R$7 mil. Quem consegue ingressar na carreira federal ganha, em média, R$11 mil de salário inicial.

De acordo com Fernando Abrucio, entretanto, os profissionais recém-chegados ao mercado não devem se preocupar apenas com a questão salarial. Antes de qualquer coisa, é importante que o novo profissional perceba qual sua área de preferência, para que possa atuar de maneira competente para resolver os desafios daquele setor.

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Administração pública:

Profissão Administrador Público Mercado de trabalho Administração pública Área de atuação Administração pública Administração pública Guia de Carreiras

Pesquisar
Artigos Relacionados