Testes de proficiência e suficiência: diferenças

links patrocinados

Testes de proficiência e suficiência: diferenças

Para considerarmos as diferenças entre os exames que costumamos realizar e termos uma ideia sobre a exigência desses devemos primeiro notar se eles são exames de proficiência ou suficiência, afinal, existe uma grande e notável diferença entre esses dois diferentes tipos de avaliações.

Testes de proficiência e suficiência: diferenças – saiba mais

Os testes de suficiência geralmente exigem um pouco menos do candidato, já que como o próprio prefixo do nome já diz o conhecimento básico já é “suficiente”.

Testes de proficiência e suficiência: diferenças Testes de proficiência e suficiência

Por conta disso a exigência nos exames de suficiência costuma ser um pouco menor que nos exames de proficiência.
Os testes de proficiência, diferente dos exames suficientes, são um pouco mais avançados e demandam de um maior conhecimento por parte de quem está realizando o teste, seja ele para línguas, ciências sociais e/ou exatas e etc. Conheça abaixo quais são os testes mais realizados em todo o território brasileiro, tanto de proficiência quanto de suficiência.

Conheça os Testes de proficiência e suficiência: diferenças

Diferentes tipos de testes de proficiência e suficiência

São diversos os testes para “confirmar” o seu conhecimento em algo, e por conta disso que existe uma grande importância em entender as diferenças entre os testes de proficiência e suficiência.
Existem testes de proficiência e suficiência para a área de saúde, para a área de exatas, e não devemos nos esquecer de que as provas de vestibular não deixam de ser testes de proficiência ou suficiência, o que dependerá é claro do curso e do nível das questões apresentadas em prova.
Mas se tem uma área onde a diferença entre os testes de proficiência e suficiência são muito importantes é com certeza nos exames que testam o nível de idioma.

Testes de proficiência

Testes de idiomas

Atualmente é difícil encontrar uma pessoa que ainda não fala ou não está estudando para falar outro idioma, sendo aqui no Brasil os principais idiomas aprendidos o inglês e o espanhol.
Muitas pessoas estudam para ter conhecimento da língua para melhorar o currículo ou para falar somente quando for necessário. Mas, grande parte dos indivíduos, em suma os universitários, aprendem outros idiomas para futuramente realizarem algum programa de intercâmbio em outro país, ou até mesmo para trabalhar fora.
Para que isso seja possível é necessário um diploma num teste de proficiência, afinal, o exame de suficiência é suficiente somente para quem quer comprovar que fala inglês, mas não levará o estudante para realizar estudos e projetos científicos no exterior, já que para que isso dê certo este terá que realizar um exame avançado, ou seja, de proficiência na língua inglesa e/ou outras, dependendo do país.

Teste de suficiência

Composição dos testes

Agora consegue entender as diferenças entre um exame de suficiência e um de proficiência? Se precisar de algum deles, lembre-se que você deve realizar o exame que se encaixa na sua necessidade, afinal, para conseguir certas coisas na vida, como é o caso de realizar um intercâmbio totalmente bancado pelo programa Ciência Sem Fronteiras, precisamos de um conhecimento proficiente, ou seja, avançado e dominado.
Geralmente, tanto os testes de proficiência quanto de suficiência são compostos por questões escritas, de leitura, interpretação e compreensão, além é claro da expressão oral do estudante que também é testada. A única coisa que diferencia então os testes de proficiência e suficiência é o grau de exigência destes.

Pesquisar
Artigos Relacionados