Santa Terezinha

links patrocinados

Santa Terezinha

Santa Terezinha

A Santa Teresinha de Lisieux foi uma irmã da classe das Carmelitas e Doutra da Igreja que nasceu na França, em Alençon, região que se localiza na baixa Normandia em 2 de janeiro de 1873.

Ela foi aluna do Colégio feminino da Abadia das Monjas Beneditinas na cidade de Lisieux. Em sua adolescência ela passou uma por uma experiência que mudou sua vida. O episodio é conhecido como a noite da conversão de Terezinha.

Após esta revelação de Terezinha é que ela decide abandonar sua infância e ingressar o Carmelo, isto é, entrar para Ordem das Carmelitas Descalças. Ainda menina Terezinha nao podia entrar no Carmelo, ela precisou de uma audiência com o Papa Leão XIII para poder então fazer parte da ordem. O pedido direto ao Papa contrariou a ordem do Bispo de Lisieux. Terezinha conseguiu ingressar a Ordem das Carmelitas Descalças em 9 de abril de 1888.

Falecimento

Terezinha viveu como Carmelita até 30 de setembro de 1897, quando aos 24 anos, faleceu. Ela deixou 3 manuscritos, uma autobiografia que foi escrita a pedido de sua irmã, e também Carmelita, Paulinia. Os manuscritos ficaram conhecidos pelos nomes de Chamado Manuscrito A, Chamado Manuscrito B e Chamado Manuscrito C.

Santa Terezinha

Os manuscritos de Santa Terezinha foram publicados por sua irmã Paulinia em 1898. A compilação levou o nome de “História de uma alma”. Mais de 20 anos após a publicação dos manuscritos, em 1925, Santa Terezinha foi Canonizada pelo Papa Pio XI, o qual também a declarou como Patrona Universal das Missões Católicas, no ano de 1927.

Muitos anos adiante o Papa João Paulo II declarou Santa Terezinha como Doutora da Igreja, isto em 19 de outubro de 1997. Em 2008 no dia 31 de outubro que é o dia mundial das missões em Lisieux os pais de Santa Terezinha foram beatificados.

Brasil

Somente na cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, existem duas paróquias de Santa Terezinha. Nos festivais Teresianais em Liseoux, de 2009, o Brasil foi lembrado por enviar um relicário de prata, comprado com dinheiro dos fiéis do Rio de Janeiro, Pouso Alegre, Guaxupé e muitos outros. Existem varias capelas e santuários de Santa Terezinha no Brasil.

Casamento Religioso

Casamento Religioso

Sobre o Casamento Religioso

Não importa a raça, a cor, a idade ou a religião, as pessoas por sua natureza desejam constituir família, viver junto com aquele (a) que ama e, lógico, desejam casar-se. O casamento religioso acontece em praticamente todas as religiões do mundo, é como se essa fosse uma vontade universal.

Ao contrário da união civil, que se refere aos termos legais, o casamento religioso é a união de duas pessoas perante Deus (ou outros deuses). Além disso, o casal faz votos de amor, fidelidade e cumplicidade frente às famílias, aos diversos amigos e convidados da cerimônia.

União em igrejas

O casamento católico é o mais tradicional no nosso país, em que a maioria da população pertence a essa religião. Esse tipo de cerimônia é celebrado por um padre, o sacerdote da igreja. Assim, diante de Deus e dos preceitos da igreja, o casal se une e jura seguir as normas do catolicismo.

As igrejas protestantes ou evangélicas também fazem suas celebrações de casamento, a diferença é que o responsável pela cerimônia nesse caso é o pastor evangélico. Ele faz as menções à Bíblia e conduz o cerimonial para que o enlace se concretize de acordo com as leis da religião.

Em outras religiões como as afro-brasileiras ou mesmo na doutrina espírita também existe casamento religioso. Assim como nas demais, tem uma pessoa que conduz o ritual e declara os noivos casados.

Celebração ao ar livre

Casar na igreja é muito bonito, cheio de pompa, porém atualmente muitos casais preferem realizar seus casamentos fora das construções religiosas. Praias e fazendas figuram entre os lugares mais populares para ser o cenário dos casórios.

Função segundo a Bíblia

De acordo com os escritos sagrados, a união matrimonial do homem e da mulher está ordenada para a comunhão e o bem dos cônjuges. Também, claro, com a finalidade de geração e educação de filhos, sendo essa a função primeira do matrimônio.

O segundo ponto segundo é a ajuda mútua entre os esposos e o remédio da concupiscência. Na Bíblia, após a narração da criação de Adão e Eva, é manifestada a vontade do Senhor: “Crescei e multiplicai-vos, e enchei a Terra”.

Pesquisar
Artigos Relacionados