Os Riscos de se Fazer Bronzeamento Artificial da Pele – Mitos e Verdades

links patrocinados

Os Riscos de se Fazer Bronzeamento Artificial da Pele – Mitos e Verdades

Desde o ano de 2009, está proibido o uso de câmaras de bronzeamento artificial, tanto para o uso pessoal quanto para a comercialização. Isso porque, segundo pesquisas realizadas recentemente, pessoas que fazem bronzeamento artificial nessas câmaras correm mais riscos de desenvolver câncer de pele. Apenas dez minutos de exposição da pele neste aparelho equivale a cinco mais vezes de tempo de exposição ao sol. Vale ressaltar que as câmaras de bronzeamento artificial não oferecem nenhum benefício para a saúde, apenas funcionam como uma espécie de sol artificial, estimulando a produção de pigmentação, de melanina e conferindo à pele um aspecto mais bronzeado.

Verdades sobre as câmaras de bronzeamento artificial

Os Riscos de se Fazer Bronzeamento Artificial da Pele - Mitos e Verdades Conheça Os Riscos de se Fazer Bronzeamento Artificial da Pele - Mitos e Verdades

Principal verdade sobre o uso de câmaras de bronzeamento artificial que você deve ter em mente é que elas podem causar câncer de pele. Isso porque a exposição excessiva às lâmpadas UVA acabam aumentando os riscos de melanoma, um tipo mais grave de câncer de pele. Outra grande desvantagem de utilizar as câmaras de bronzeamento artificial é que elas causa envelhecimento precoce da pele. Isso acontece porque durante as sessões, o colágeno da pele é totalmente destruído com a falta de hidratação. Além disso, as células ficam danificadas e ocorre uma perda da elasticidade da pele, que faz que surjam rugas precoces e concede à pele uma aspecto envelhecido.

Os Riscos de se Fazer Bronzeamento Artificial da Pele

Confira mais

A falta de controle do tempo nas câmaras de bronzeamento artificial também pode causar queimaduras graves na pele. Além disso, a visão pode ser afetada, já que não há nenhum tipo de proteção correta e adequada durante o tempo em que o corpo fica exposto à radiação ultravioleta, aumentando assim as chances de ocorrerem doenças oculares, como pterígeo, ceratires, cataratas e até mesmo aumenta as chances de um envelhecimento precoce do epitélio da retina ocular. Pode-se afirmar, com toda a certeza, que as câmaras de bronzeamento artificial é o método de bronzeamento que mais prejudica a saúde da nossa pele.

Bronzeamento Artificial da Pele

Mitos sobre bronzeamento artificial

Um dos mitos sobre as câmaras de bronzeamento artificial é que elas conservam a pele hidratada. Pelo contrário, a luz UVA acaba atrofiando as células e consequentemente diminui a hidratação da pele e aumenta a perda de líquido. Além do que, a exposição a este tipo de bronzeamento artificial acaba destruindo o colágeno da pele, fazendo com que ela perca o tônus e a elasticidade. Outro mito que deve ser derrubado é de que o uso de medicamentos não influencia no uso da câmera. Isso porque existem muitos medicamentos que são sensibilizantes, ou seja, quando em contato com a luz UVA acabam causando reações gravíssimas na pele.

Os Riscos de se Fazer Bronzeamento Artificial da Pele - Mitos e Verdades - saiba mais

Dica importante

Por isso, uma boa dica para se bronzear é utilizar autobronzeadores, que possuem em sua composição substâncias que são responsável pela coloração da área superficial da pele. Mas, vale ressaltar que este produto não oferece nenhuma proteção à pele. Por isso, é de extrema importância ressaltar que os filtros solares não devem ser dispensados em nenhum momento, principalmente naqueles em que houver exposição ao sol.

Pesquisar
Artigos Relacionados