Fundação Cone Sul de Desenvolvimento

links patrocinados

Fundação Cone Sul de Desenvolvimento

Fundação Cone Sul de Desenvolvimento

Sobre a Fundação Cone Sul

Em prol do desenvolvimento, os países de uma mesma região (ou continente) costumam unir-se. Na América do Sul foi criado o Cone Sul, composto por alguns países do continente. O problema é que divergências internas impedem que o Cone Sul atue de fato.

Países do Cone Sul

Fazem parte do Cone Sul a Argentina, o Chile, o Paraguai, o Uruguai e o Brasil. A ideia das nações ao formar o bloco era melhorar a economia da região através de troca de experiências, de representatividade e de inserção em mercados que hoje não são explorados por estes países separadamente.

Mas alguns desafios e desavenças internas impedem o avanço do Cone Sul. Por exemplo, o Brasil nem sempre é citado como parte integrante do grupo. Isto porque o Cone Sul, a princípio, está limitado geograficamente aos países da América do Sul que ficam abaixo do Trópico de Capricórnio, o que seria o estado de São Paulo e os três estados do Sul do Brasil. Já o Paraguai foi incluído pela proximidade histórica e geográfica, mesmo diferenciando-se do padrão de vida alto dos outros integrantes.

É interessante que o Cone Sul é um bloco formado por países evoluídos e com alto padrão de vida, se forem comparados com outras nações do continente. Em média, o Índice de Desenvolvimento Humano da região é considerado elevado (atingindo entre 0,800 e 0,900), os países possuem alta expectativa de vida, a população tem maior nível educacional e a industrialização é maior (apesar de a agropecuária também ser muito forte na região).

Cone Sul

Cone Sul

Sobre o Cone Sul

O chamado Cone Sul corresponde ao pedaço mais meridional da América do Sul e engloba quatro países: Brasil, Argentina, Uruguai e Chile. Este nome foi escolhido porque a região tem formato parecido com um cone, sendo o Cabo de Horn, o ponto mais ao sul das Américas, ou seja, o vértice.

Localização do Cone Sul

O Cone Sul é a parte continental localizada mais perto da Antártida. Em alguns casos, o Paraguai é incluído nesta classificação. Mas isso nem sempre acontece, devido às grandes diferenças deste em relação aos demais países. O Paraguai apresenta um baixo padrão de vida e de industrialização, além de elevadas taxas de pobreza.

Abrangência do Cone Sul

A região do Cone Sul possui uma grande diversidade cultural e abrange vários tipos de paisagens, como a Cordilheira dos Andes, inclusive seu ponto mais alto, o Aconcágua, localizado na Argentina, o Deserto do Atacama, no Chile, e os Campos de Gelo e Glaciais que compõem a natureza da Patagônia.

A região é banhada tanto pelo Oceano Atlântico, quanto pelo Pacífico. Em algumas classificações, o Brasil inteiro não aparece no Cone Sul, fazendo parte apenas o sul do país e o estado de São Paulo. A capital paulista é a maior cidade do Cone Sul.

Além de São Paulo, que lidera o ranking como sendo a maior cidade do Cone Sul, possuindo 10 milhões, 927 mil e 985 habitantes, outras cidades importantes da macro-região são: Santiago (5.428.590), Buenos Aires (2.995.397), Curitiba (1.828.092) e Montevideo (1.668.33).

Características

Como três dos quatro países que compõe o Cone Sul são de colonização espanhola, a principal língua da região é a espanhola. Se o Brasil for incluído por inteiro, esse dado já muda e passa a ser o português a língua mais falada (devido ao número de habitantes do Brasil quando comparado com o restante dos outros países).

O Cone Sul está entre uma das macro-regiões mais prósperas da América Latina, visto que ele possui um alto índice de expectativa de vida, a população possui padrão de vida elevado, o Índice de Desenvolvimento Humano também é o maior da América Latina e os países que compõem a região têm uma efetiva participação nos mercados globais e nas economias emergentes.

Pesquisar
Artigos Relacionados