Escola Agrotécnica

links patrocinados

Escola Agrotécnica

Escola Agrotécnica

As escolas agrotécnicas pertencem ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, estando ligadas também à Rede Federal de Educação e Tecnologia do Ministério da Educação (MEC). O objetivo é realizar maior captação dos alunos nas mais variadas áreas envolvendo as ciências agronômicas, que durante muito tempo não foram prioridade no país pelo senso comum de que esse setor não traria o retorno desejado se juntado com a tecnologia. Percebeu-se, entretanto, que embora existam diferentes condições (principalmente climáticas) que afetam o rendimento da área agrícola, ações de exportação e venda a preços acessíveis podem afetar totalmente o lucro no setor.

A responsabilidade de fiscalização da qualidade do ensino é da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) que deve realizar o planejamento, orientação, coordenação e supervisão de processos. Além disso, deve formular e implementar políticas de educação profissional e tecnológica; promovendo diferentes ações para fomentar e fortalecer, bem como expandir e melhorar a qualidade da educação e aumentar o número de profissionais capazes.

Nas escolas agrotécnicas, existem diferentes áreas de aprendizado, mas envolvem por exemplo: disciplinas sobre o cultivo e técnicas de colheita, administração, economia e comércio básico, exportação e ações, pesquisa com grãos e implementação das sementes, transgênicos, equipamento tecnológico, entre outros. Essa é apenas uma das muitas iniciativa do Governo Federal para ampliar o acesso ao ensino técnico e superior para todas as classes, principalmente utilizando cotas, além de inaugurar outros centros de aprendizado em cidades não necessariamente próximas às capitais de estado, como era feito anteriormente.

Mais informações

Alguns dos estados que contam com Institutos Federais inclui: o Acre, Tocantins, Sergipe, Amapá, Amazonas, São Paulo, Roraima, Distrito Federal, Ceará, Rondônia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul (que conta com três), Paraná (conta com dois), Maranhão, Santa Catarina (também com dois), Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro (com três), Goiás (possui dois), Bahia (com dois), Minas Geras (conta com seis), Pará, Pernambuco (com dois), Piauí, Paraíba e o Mato Grosso.

Os centros tecnológicos entretanto, são divididos em diferentes classificações, como: Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (que utilizam as siglas IF), os Centros Federais de Educação Tecnológica (CEFETs, como o do Rio de Janeiro, o de Minas Gerais e a UTFPR, no Paraná). Para maiores informações, acesse o site oficial do Instituto Tecnológico mais perto de você para visualizar os cursos disponíveis ou então, se já sabe qual curso deseja procurar, realize uma filtragem das instituições que disponibilizam essa opção.

O surgimento das escolas técnicas começou a se estabelecer na década de oitenta, mas com um certo sucateamento tecnológico que só foi se alterar na década de 2000. Atualmente, o ensino técnico também se torna prioridade no sentido de vagas, pois há uma alta procura por esse tipo de especialização, estando ligadas ou não à área agrícola. No site específico da área no Ministério da Educação, também é possível ficar informado através das redes sociais como o Twitter e o Facebook, bem como inscrição de feed RSS sobre novos projetos e afins.

Fotos

Confira Fotos da Escola Agrotécnica:

Escola AgrotécnicaEscola Agrotécnica
As escolas pertencem ao Instituto Federal de Educação, Ciência e TecnologiaAs escolas pertencem ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia
Existem escolas agrotécnicas espalhadas por todo o BrasilExistem escolas agrotécnicas espalhadas por todo o Brasil

Pesquisar
Artigos Relacionados