Condomínio Fechado

links patrocinados

Condomínio Fechado

Condomínio Fechado

Uma das prioridades atuais para qualquer indivíduo, além da sua saúde, é a segurança. Ela está presente (ou como parte de ações políticas, deveria estar) quando andamos sozinho ou em grupo na rua, quando passamos por determinada área que deveria estar iluminada, quando deveríamos ter informações suficientes sobre o trânsito, a situação do comércio, a livre circulação dos indivíduos em todos os espaços públicos. Faz parte do nosso direito e do nosso dever como cidadão exigir segurança pública efetiva e de qualidade.

Entretanto, como esse nem sempre é o caso, muitas pessoas acabam tomando atitudes individuais para protegerem sua vida, a de sua família e seus bens conquistados através do trabalho – objetos importantes e caros como veículos, imóveis, eletrodomésticos e eletrônicos, tecnologias em geral. As formas de proteção desses bens materiais incluem não apenas o seguro (uma taxa mensal ou anual paga relevante ao equivalente do valor daquele objeto, caso seja roubado ou prejudicado esse valor é devolvido). Além desse formato, outras opções incluem carregar consigo sempre esses materiais, deixá-los guardado em um local seguro (bancos, cofres, etc.) ou ainda reforçar a segurança de acesso ao objeto em questão.

É por esse motivo que foram criados os condomínios fechados: são terrenos vendidos com toda a estrutura envolta a área pronta – muros, câmeras, portões elétricos, seguranças, interfones, porteiros, sistema de senha e afins. Todo esse método serve para proteger aquela região que concentra casas de grande valor, assim como tudo que a casa abriga (objetos, móveis, veículos), etc. Além disso, frequentemente esses condomínios também proporcionam opções de lazer tanto para os adultos como para as crianças de uma forma segura (os moradores interagem entre si em espaços como sala de jogos, salão de festas, parquinho, quadra de esportes).

Mais informações

Devido a esse nível de profissionalização e as atividades envolvidas, bem como o aproveitamento do espaço, a maioria dos condomínios fechados possui um alto custo mensal para manutenção de todas as ações que envolvem a segurança (pagar as pessoas que realizam os serviços, realizar reformas, manter a estrutura em bom estado). Logo, os condomínios fechados podem até colocar mais obstáculos na hora do roubo, mas certamente não evitam que o maior interesse dos ladrões sejam nessas áreas, chamando inclusive mais atenção.

Caso já more em um condomínio fechado, a sugestão para não sofrer ataques é não deixar objetos em geral à mostra, principalmente os mais caros. Embora você já esteja dentro do condomínio, por exemplo, não deixe o rádio do seu veículo exposto, muito menos vidros abertos ou quaisquer objetos de valor em cima do banco do passageiro – nunca se sabe se o ladrão não pode aproveitar a oportunidade, mesmo com a dificuldade e, principalmente, se o indivíduo não mora dentro do mesmo condomínio.

Outra sugestão é conscientizar as suas crianças o quanto antes: não falar com estranhos, apenas cumprimentar se forem cumprimentadas e se já reconhecem as pessoas, não brincar na parte externa da casa com artigos caros (celular no bolso, tocadores de música, câmeras fotográficas digitais) ou quando utilizarem tais objetos nunca os perder de vista. E por último, em qualquer caso preocupante voltar para casa e contar exatamente o que aconteceu para alguém responsável.

Fotos

Confira Fotos de Condomínio Fechado:

Condomínio fechadoCondomínio fechado
Os condomínios fechados estão cada vez mais comunsOs condomínios fechados estão cada vez mais comuns
Este tipo de habitação oferece maior segurançaEste tipo de habitação oferece maior segurança

Pesquisar
Artigos Relacionados