CEP de Ruas

links patrocinados

CEP de Ruas

CEP de Ruas

Como é difícil a vida de quem trabalha nos correios né? Ter que entregar vários pacotes e cartas na casa correspondente. Mas ainda bem que a vida desses profissionais foi facilitada com a criação do CEP de ruas. A sigla significa Código de Endereçamento Postal é o CEP é utilizado para ajudar na hora de fazer a triagem, de encaminhar e de entregar as correspondências aos seus respectivos destinatários. Logo, se a correspondência não possuir esse dado, ela retornará ao remetente.

Se o CEP não estiver correto, o sistema de distribuição não se torna possível, afinal, ele é a principal identificação do local exato em que a encomenda deve ser deixada. Caso isso não aconteça, é possível que algum objeto seja entregue em algum endereço errado. Um exemplo bastante específico e comum para isso é a existência de mais de uma rua com o mesmo nome numa cidade.

O surgimento do Código de Endereçamento Postal

Pode-se dizer, também, que a principal finalidade do CEP é logística. Em outras palavras, decodifica os algarismos numéricos e transforma-os em informação, conhecimento e ação. Em maio de 1971, a estrutura era composta por apenas cinco dígitos. Para que as pessoas soubessem da existência desse novo sistema, o Código de Endereçamento Postal foi divulgado para o público através do Guia Postal Brasileiro, Edição 1971, em que a sua criação foi exposta.

Já no ano de 1992, mais precisamente no mês de maio, a sua estrutura foi alterada para oito dígitos. A título de regularizar o sistema, essa mudança foi oficializada para as pessoas com a sua publicação no Guia Postal Brasileiro, Edição 1992.

A estrutura do CEP

A partir desses oito dígitos, foi feita uma subdivisão em duas partes: a primeira é composta por cinco dígitos (são aqueles que aparecem na frente do hífen) e representam da esquerda para a direita, região, sub-região, setor, subsetor e divisor de subsetor. A outra possui três dígitos (números que você encontra depois do hífen) e corresponde aos identificadores de distribuição individuais (localidades, logradouros, códigos especiais e unidades do correio).

Como forma de facilitar ainda mais o processo de distribuição, foi feita a divisão do país em dez regiões postais. Os critérios escolhidos para essa classificação são baseados no desenvolvimento socioeconômico e nos fatores de crescimento demográfico de cada cidade. Essa distribuição é feita em sentido anti-horário e começa com o estado de São Paulo, a partir do primeiro algarismo, no caso o número zero.

A divisão das Regiões

Representados pelo primeiro algarismo no CEP, veja abaixo as dez Regiões postais em que o Brasil foi dividido, correspondente aos seus respectivos estados. Vale lembrar que apenas as localidades que possuírem mais de 50.000 habitantes na área urbana têm o CEP determinado por logradouro e pode haver mais de um CEP na rua ou avenida.

• Região 0 – Sede em São Paulo – Grande São Paulo: (01000 a 09999);
• Região 1 – Sede em Santos – Interior de São Paulo: (11000 a 19999)
• Região 2 – Sede no Rio de Janeiro – Rio de Janeiro: (20000 a 28999) e Espírito Santo: (29000 a 29999);
• Região 3 – Sede em Belo Horizonte – Minas Gerais: (30000 a 39990);
• Região 4 – Sede em Salvador – Bahia: (40000 a 48999) e Sergipe: (49000 a 49999);
• Região 5 – Sede em Recife – Pernambuco: (50000 a 56999); Alagoas: (57000 a 57999); Paraíba: (58000 a 58999) e Rio Grande do Norte: (59000 a 59999);
• Região 6 – Sede em Fortaleza – Ceará: (60000 a 63990); Piauí (64000 a 64990); Maranhão (65000 a 65990); Pará: (66000 a 68890); Amapá: (68900 a 68999); Amazonas: (69000 a 69299); Acre: (69400 a 69899) e Roraima: (69300 a 69399);
• Região 7 – Sede em Brasília/DF – Distrito Federal: (70000 a 73699); Goiás: (73700 a 76799); Rondônia: (76800 a 76999); Tocantins: (77000 a 77999); Mato Grosso: (78000 a 78899) e Mato Grosso do Sul: (79000 a 79999);
• Região 8 – Sede em Curitiba – Paraná: (80000 a 87999) e Santa Catarina: (88000 a 89999);
• Região 9 – Sede em Porto Alegre – Rio Grande do Sul: (90000 a 99999).

O sufixo do CEP

Quanto aos três algarismos após o hífen, chamados de sufixo, são responsáveis pela identificação individual de localidades. Os de baixa demanda são denominados CEP genéricos, os que possuem logradouros, são nomeados CEP comum e aqueles em que são classificados por lotes de grandes receptores, o CEP é especial. Já para aquelas cidades em que o CEP não é determinado por logradouro, é utilizado o genérico e é seguido pelo número -000.

GD Star Rating
loading...
CEP de Ruas, Nota: 1.0 de 5 com 2 votos
Pesquisar
Artigos Relacionados