Síndrome do Pânico: o que é e Tratamento

links patrocinados

Síndrome do Pânico: o que é e Tratamento

A Síndrome do Pânico é uma espécie de ansiedade caracterizada principalmente pela ocorrência de crises súbitas sem fatores desencadeantes e motivos aparentes. Em suma, podemos dizer que o que acontece é que o sistema de alerta normal do nosso organismo, ou seja, o conjunto de mecanismos mentais e físicos que permitem que o indivíduo reaja a uma ameaça, seja desencadeado de forma desnecessária.

Em geral, a Síndrome do Pânico acontece porque o nosso cérebro produz neurotransmissores, que são os grandes responsáveis pela comunicação entre os neurônios. Assim, um desiquilíbrio entre a produção de noradrenalina e de serotonina leva o cérebro a transmitir comandos e informações incorretas, causando assim a Síndrome do Pânico.

Confira mais

Síndrome do Pânico: o que é e Tratamento Conheça o Síndrome do Pânico: o que é e Tratamento

As principais situações que causam esse desiquilíbrio na produção de neurotransmissores são os traumas, a insegurança, a estafa, o estresse, a perda de entes queridos, a fraqueza emocional, o nervosismo e choques causados por assaltos e roubos.

Depois de ter uma crise de Síndrome do Pânico, o indivíduo pode ainda desenvolver medos irracionais de algumas situações consideradas banais do dia a dia, começando então a evitá-las. Assim, gradativamente, o nível de medo e de ansiedade podem atingir um nível tão alto, que a pessoa se torna incapaz de colocar o pé para fora de casa.

Confira o Síndrome do Pânico: o que é e Tratamento

Sintomas

Os sintomas físicos de uma crise de Síndrome do Pânico aparecem de forma súbita, sem nenhuma causa ou motivo aparente. Vale ressaltar neste caso que apesar da causa para que ela apareça exista, ela é difícil de ser percebida e são como uma espécie de preparação do corpo para algo terrível.

Os principais sintomas da crise de Síndrome do Pânico são as palpitações, as distorções da percepção da realidade, confusão e pensamento rápido, medo de morrer, medo de perder o controle, tontura, náusea, atordoamento, calafrios e ondas de calor, vertigens ou sensação de debilidade, dificuldade de respirar e sensação de que algo terrível está prestes a acontecer.

Síndrome do Pânico: o que é

Quem sofre de Síndrome do Pânico?

Em geral, as pessoas que sofrem com a Síndrome do Pânico são extremamente produtivas, aquelas que costumam assumir uma grande carga de afazeres e de responsabilidade. Além disso, elas são extremamente exigentes com elas mesmas e não convivem bem com imprevistos e com erros. Além disso, elas se preocupam de forma excessiva com problemas cotidianos, são perfeccionistas, possuem alto nível de criatividade e têm necessidade excessiva de aprovação e de se sentirem no controle das situações.

Síndrome do Pânico: Tratamento

Tratamento

Existem diversas técnicas de tratar a Síndrome do Pânico. A microfisioterapia por exemplo, é uma técnica de reprogramação celular francesa, que tem como objetivo principal detectar as causas da síndrome e então, apaga-las.

Outra técnica de tratamento da Síndrome do Pânico é a Terapia Floral, que trabalha através de um equilíbrio das emoções, o fim dos problemas que causam a síndrome de pânico. Assim, através de um acompanhamento individualizado e contínuo, de entrevistas e da administração de florais, o paciente é tratado para que possa lidar com as adversidades e os seus limites.

Pesquisar
Artigos Relacionados