Pesquisa aponta que meditação aumenta criatividade

Pesquisa aponta que meditação aumenta criatividade

Foi publicado esta semana na revista Frontiers in Cognition, uma pesquisa conduzida pela Psicóloga Loranza Colzato da Universidade holandesa de Leiden, um estudo que aponta especificidades das vantagens em se praticar a meditação. Segundo a pesquisa os benefícios estão muito além daquilo que o senso comum acredita, que é o relaxamento.

O estudo da psicóloga da Universidade de Leiden mostrou descobertas que demonstram que a meditação tem um grande poder influenciando a cognição do ser humano, além do relaxamento físico, a meditação pode influenciar, segundo a pesquisa, sentimentos e emoções humanas.

Foram diferentes técnicas de meditação estudadas pela psicóloga. Os principais aspectos estudados das praticas de meditação foram da criatividade, com métodos de pensar que eram convergentes e divergentes. Já haviam estudos anteriores que demonstravam que a meditação podia proteger o cérebro de doenças psiquiátricas.

Na meditação de pensamento divergente há a aparição de diversas ideias que podem se relacionar a um objeto, que pode ser um lápis, ou qualquer outra coisa. O pensamento convergente faz o uso de palavras para que se chegue até uma ideia central.

A pesquisadora utilizou então os diferentes pensamentos na analise de quais técnicas de meditação poderiam influenciar mais as atividades chamadas criativas. Ela dividiu dois grupos de técnicas, o grupo da técnica chamada de meditação aberta e o grupo da meditação fechada.

A psicóloga demonstrou então que não são todas as praticas de meditação que apresentam efeitos na criatividade humana. Segundo o estudo o estilo convergente da meditação não apontou resultados significantes para a resolução de um problema.

Os resultados apontaram que a meditação aberta, através do pensamento divergente, fez com que os voluntários passassem a ter muitas ideias novas, gerar novos pensamentos e com isso houve um maior estimulo a criatividade, daqueles que praticaram a meditação aberta com linha de pensamento divergente.

Em março uma pesquisa desenvolvida na Universidade da Califórnia havia sugerido que meditar durante muitos anos faz com que p cérebro se torne mais espesso, o que fortalece a conexão celular cerebral. Quer dizer, meditar torna o cérebro muito mais forte e menos suscetível a doenças.

GD Star Rating
loading...
Pesquisar
Artigos Relacionados