Link lança guia de tablets

links patrocinados

Link lança guia de tablets

Mais do que gadgets bacanas, os tablets são um marco tecnológico da transição entre aparelhos de telefonia móvel e computadores. Por causa de sua grande utilidade e praticidade, vem conquistando mercado no mundo inteiro e substituindo, aos poucos, notebooks, netbooks e até mesmo celulares comuns.

Só que muita gente ainda fica confusa na hora de escolher o modelo que melhor supre as suas necessidades e compará-los com outros de outras marcas e preços. Por isso, o especialista Camilo Rocha (que tem blog hospedado no Link, do Estadão) publicou um pequeno guia de tablets, para facilitar a vida de novos consumidores. Aqui vão alguns dos modelos citados:

iPad

O novo iPad, que foi lançado há poucas semanas, veio com algumas novidades com relação ao modelo anterior (o iPad 2). As principais delas são com relação à imagem, já que a tecnologia Retina melhorou muito a nitidez e a cor. Ótima pedida para quem gosta de jogar ou de ver filmes no tablet, mas para funções básicas e para leitura não muda muita coisa.

O preço no Brasil é um pouco salgado: a partir de R$ 1.549 a versão mais barata (de 16GB, mas também existem opções com 23 GB e 64 GB). Ele vem com processador Dual Core (1 GHz) e conectividade wi-fi ou wi-fi 3G e 4G. O maior contra, segundo o especialista, é que o aparelho não vem com reconhecimento de voz em português.

Sony Tablet S

A Sony – uma das maiores fabricantes de gadgets do mundo – também lançou seu modelo de tablet. O preço é um pouquinho mais salgado do que o iPad básico, mas vem com 32 GB de armazenamento padronizado. No Brasil, ele custa cerca de R$ 1.649, e vem com processador de 1,2 GHz Dual Core, câmera traseira de 5 MP e, segundo Camilo Rocha, bons aplicativos de fábrica. O lado ruim do tablet S é que o brilho da tela é um pouco fraco comparado a outros modelos.

Blackberry PlayBook

Faz um tempo que a Blackberry está tentando recuperar o mercado de gadgets. Com seu novo lançamento – o tablet Blackberry PlayBook – a empresa conquistou novos clientes e recuperou os antigos. Os principais motivos do sucesso são o preço (no Brasil, o preço médio gira em torno de R$ 1.399), o design fantástico e a portabilidade. A desvantagem é que este gadget não vem com tantos aplicativos quanto outros concorrentes (o que, convenhamos, nem é um problema tão grande assim se o aplicativo não for essencial)

Samsung Galaxy Note 10.1

A principal concorrente mundial da Apple em tecnologia de smartphones e tablets é a Samsung. E depois do lançamento do iPad 3, é claro, a Samsung não ficou atrás e agilizou logo o anúncio do Galaxy Note 10.1. O lançamento ainda não tem previsão de data e nem de preço, mas sabe-se que ele virá em versões de 16 e 32GB, um processador Dual Core de 1 GHz (mesmo do iPad) e conta com caneta Stylus (que facilita o manuseio) e vários recursos interessantes de escrita e desenho. O problema é que ele não tem 3G.

Pesquisar
Artigos Relacionados