Guia de Carreiras – Engenharia florestal

links patrocinados

Sobre Guia de Carreiras – Engenharia florestal

Guia de Carreiras – Engenharia florestal

Dentro das diversas áreas da engenharia, a florestal promete ser uma das mais promissoras para os anos que estão por vir, muito devido ao novo Código Florestal e à onda ecológica que o mundo tem vivido nos últimos anos. Quem deseja se tornar engenheiro florestal precisa, antes de mais nada, gostar de passar longos períodos na mata.

Segundo Patrícia Gomes, que atua na ONG Imaflora, no interior paulista, os profissionais da engenharia florestal costumam viver em contato com pessoas que vivem em comunidade em florestas. Por isso, benhos de rio e noites dormidas em redes são parte do cotidiano do engenheiro florestal. Patrícia ressalta que este tipo de experiência é essencial para um engenheiro florestal, mesmo que ele não pretenda atuar neste setor após formado.

Luciana Papp, que também atua na Imaflora, explica que os engenheiros florestais não podem ter medo de imprevistos. A própria Luciana já se deparou com onças nas florestas e, uma vez, um bicho-preguiça caiu em cima dela. Além de atuar na ONG, Luciana também trabalha com as certificações FSC, fornecidas a indústrias e empresas que atuam de acordo com uma série de critérios socioambientais.

Mercado de trabalho

Quem se forma em engenharia florestal encontra um amplo espectro de trabalho ao sair da universidade. É possível trabalhar, por exemplo, junto a indústrias dos setores de celulose, carbono e madeira. É possível, também, optar pelo trabalho em órgãos do governo ou consultorias.

O Brasil possui, atualmente, cerca de seis milhões de hectares cobertos por florestas não nativas – ou seja, plantadas pelo homem para os mais diversos fins. De acordo com Luciana Papp, a meta do país é que este número dobre até 2015. Por consequência, serão necessários mais profissionais do setor da engenharia florestal. Com a intenção do governo federal de liberar concessões para florestas públicas, que seriam plantadas para aumentar a produção de madeira no país, o mercado para engenheiros florestais promete se aquecer ainda mais.

Engenharia ambiental

Uma das confusões mais comuns que envolve a atuação do engenheiro florestal é a compração com os engenheiros ambientais. Embora ambos tenham uma ligação direta com a natureza, o engenheiro florestal é aquele que atua na recuperação e conservação das florestas, enquanto o engenheiro ambiental trabalha, principalmente, com a solução de problemas referentes à água e ao esgoto.

O curso

Durante o curso de engenharia florestal, os estudantes aprendem sobre disciplinas das áreas de biológicas e ciências agrárias, como fisiologia vegetal, tecnologia da madeira e silvicultura. Também são ensinados diversos métodos e técnicas de utilização racional de matas, de modo a não comprometer o ecossistema.

O curso mescla, durante toda sua duração, disciplinas teóricas e práticas. Ao aprenderem sobre recursos naturais renováveis, por exemplo, os acadêmicos vão a campo colocar em prática disciplinas como ecologia aplicada em campo e manejo florestal. O curso de engenharia florestal tem estágio obrigatório.

A duração média do curso é de cinco anos. Segundo o Guia do Estudante, os melhores cursos de engenharia florestal estão localizados na UnB, em Brasília, na Ufla, em Lavras, na UFV, em Viçosa e, por fim, na USP, no campus de Piracicaba.

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Engenharia florestal:

Profissão Engenheiro Florestal Mercado de trabalho Engenharia florestal Área de atuação Engenharia florestal Engenharia florestal Guia de Carreiras

Pesquisar
Artigos Relacionados