Guia de Carreiras – Engenharia de perfuração

links patrocinados

Sobre Guia de Carreiras - Engenharia de perfuração

Guia de Carreiras – Engenharia de perfuração

A engenharia possui dezenas de especialidades. Uma delas, ainda pouco conhecida, é a chamada engenharia de perfuração. Quem deseja seguir esta carreira precisa gostar de viver em alto-mar, pelo menos durante alguns períodos do ano. A função de um engenheiro de perfuração é criar projetos para plataformas de petróleo, atuando no gerenciamento operacional destas plataformas. Para trabalhar nesta área, é necessário um grande conhecimento sobre física, química e matemática.

Trabalhando a até 300 quilômetros de distância das regiões costeiras, o engenheiro de perfuração precisa, também, de muita noção de trabalho em equipe. Este profissional está sempre em contato com pessoas de outras áreas, como geofísicos, geólogos e engenheiros especializados em outros setores. Adriano Araújo, que atua na Petrobras há sete anos, explica que nenhuma decisão é exclusiva do engenheiro de perfuração. Tudo é decidido em conjunto.

Atuação

Quem deseja ingressar neste setor precisa, inicialmente, ter a graduação em engenharia. Atualmente, há diversas instituições, do setor público ou privado, que oferecem um curso mais amplo, o de engenharia de petróleo. Neste curso, os alunos podem optar pelo setor de perfuração, além de outros como pesquisa e produção.

Contudo, não é necessário que os estudantes cursem a graduação em engenharia de petróleo. Isso porque as empresas, como a Petrobras, oferecem cursos para quem está começando a carreira. Portanto, a graduação em qualquer área da engenharia é suficiente para atuar na perfuração. Segundo Adriano Araújo, o treinamento dentro das empresas pode ter até seis meses de duração. Depois, o profissional já se encontra apto a atuar diretamente com as perfurações.

Atribuições

Nas plataformas petrolíferas, o engenheiro de perfuração é um espécie de fiscal das atividades. Dentre suas atribuições estão a coordenação dos trabalhos e o acompanhamento de dados relativos à broca e ao material encontrado no fundo do mar. Como há muitos funcionários estrangeiros nas plataformas, é indispensável que o profissional tenha inglês fluente. O espanhol, embora não seja obrigatório, é um idioma desejável para quem pretende atuar nesta área.

O engenheiro de perfuração costuma auxiliar na coordenação de uma equipe que pode ter entre 100 e 200 pessoas. As perfurações costumam demorar entre três e seis meses, mas nenhum profissional permanece tanto tempo em alto-mar. Isso porque, de acordo com a regulamentação para este tipo de trabalho, os funcionários devem ficar no máximo 14 dias nas plataformas. Depois disso, retornam à costa e têm uma folga de 21 dias.

Remuneração

O salário inicial para um engeheiro de perfuração, na Petrobrás – que, no Brasil, é a maior empregadora do setor -, é de R$5600. O salário varia bastante em outras áreas, como pesquisa acadêmica e escritórios de empresas, mas a média salarial costuma ultrapassar a faixa dos dez salários mínimos mensais.

Futuro

Após a descoberta do pré-sal na região costeira entre Santa Catarina e Espírito Santo, a profissão de engenheiro de perfuração ganhou um imenso mercado de trabalho. Por isso, o futuro da área é muito promissor. Em algumas regiões, o pré-sal supera a marca dos sete mil metros em profundidade, tornando essencial a presença de profissionais qualificados em perfuração.

Fotos

Confira Fotos sobre Guia de Carreiras – Engenharia de perfuração:

Profissão Engenheiro de Perfuração Mercado de trabalho Engenharia de perfuração Área de atuação Engenharia de perfuração Engenharia de perfuração Guia de Carreiras

Pesquisar
Artigos Relacionados