Gripe A H1N1

links patrocinados

Gripe A H1N1

Gripe A H1N1

Sobre a Gripe A H1N1

A Gripe A H1N1 é uma infecção respiratória transmitida pelo vírus influenza A (H1N1), um subtipo do vírus causador da gripe, só que com alguns sintomas mais intensos e de fácil propagação. ‘Gripe A H1N1‘ é também o novo nome dado à popular gripe suína.

O nome foi trocado devido à diminuição no consumo de carne de porco, o que trouxe reflexos na economia desse setor. Consumo que, segundo os especialistas, não colaboraria para adquirir a Gripe A H1N1, uma vez que não há registros de transmissão do vírus pela ingestão de animais.

Como se propaga a Gripe A H1N1

A Gripe A H1N1 se propaga, então, pelo contato com outras pessoas já infectadas, principalmente por meio de tosse ou espirros e pela permanência em locais fechados. Mas os sintomas só aparecem depois de três a sete dias.

Em geral, o infectado pode sentir uma febre alta (mais de 38ºC) repentina e iniciar com uma tosse. Também são sintomas dor de cabeça, dor nos músculos e articulações, além de alguma dificuldade para respirar.

Início da Gripe A H1N1

Devido a Gripe A H1N1 ter sido iniciada no México e depois transmitida para outros países, deve-se ter cuidado em viagens internacionais. Aeroportos e outros locais em que há grande número de circulação de pessoas que chegam de diversos países, principalmente México e Estados Unidos, podem ser grandes propagadores do vírus.

Alerta sobre a Gripe A H1N1

O alerta para pandemia (epidemia de uma doença em diversos países) continua no nível 5 de uma escala entre 1 a 6, o que significaria “risco iminente”. Entretanto, como esse nível foi pouco modificado desde a descoberta da propagação da doença, parte das autoridades já descarta essa possibilidade. Segundo elas, a Gripe A H1N1 está sendo controlada com eficácia.

Febre Reumática - tratamento e sintomas da Febre Reumática

Febre Reumática

Sobre a Febre Reumática

A grande maioria das pessoas não sabe o que é a febre reumática, pelo menos até sofrer com ela. Febre alta, cansaço e impossibilidade até de andar de tanta fraqueza são alguns dos sintomas da febre reumática. Mas somente isto não basta. Confira o que é a febre reumática e como tratar este problema tão sério.

A febre reumática é uma doença reumática, inflamatória e de origem auto-imune, ou seja, é causada por causa de uma resposta do próprio organismo à invasão de um organismo estranho. Neste caso, o estreptococo do grupo A de Lancefield.

Sintomas da Febre Reumática

A febre reumática pode trazer vários tipos de complicações, dentre elas as cardíacas, neurológicas e dermatológicas.

Os sintomas que o paciente sente são febre, inchaço e dores nas articulações e, em caso de chegar ao coração, cansaço contínuo e falta de ar.

Diagnóstico da Febre Reumática

O diagnóstico da febre reumática é feito através de exames clínicos. Eles devem detectar se há infecção estreptococócica no organismo. Também pode ser feita uma dosagem de estreptolisina O, porque ele também é um indicador de estreptococo no corpo humano.

Tratamento da Febre Reumática

O tratamento deve ser realizado com um especialista e são utilizados antibióticos. É aplicada uma dosagem única de penicilina benzatina. Em caso de o paciente ser alérgico, a alternativa é a eritromicina.

O paciente deve permanecer em repouso por dois ou três meses e, dependendo de onde a febre reumática ataca, há um tipo diferenciado de tratamento posterior.

Prevenção da Febre Reumática

A prevenção à febre reumática é complicada por alguns motivos, como a falta de informação e a dificuldade de acesso de grande parte da população a diversos tipos de exames.

Em geral, a população que não tem acesso aos exames não consegue diagnosticar a faringite estreptocócica logo no início, o que permite o aparecimento da febre reumática.

Pesquisar
Artigos Relacionados